O conto é um gênero literário que conquista escritores e leitores do mundo inteiro. Mas, afinal, como ele nasce? Esse é o tema da palestra “Origens do conto: uma ficção”, que o escritor e jornalista Francisco de Morais Mendes apresenta na Academia Mineira de Letras no dia 26 de novembro, às 19h30. A entrada é gratuita.

O evento acontece no âmbito do Plano Anual de Manutenção AML, realizado mediante a Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio do Instituto Unimed-BH, por meio do incentivo fiscal de mais de cinco mil médicos cooperados e colaboradores, e copatrocínio da CEMIG.

A palestra aborda as possíveis origens do conto oral – relato do cotidiano, relato dos feitos, relato de batalhas; o conto escrito – os registros da memória e o conto como obra de arte e mercadoria.

O escritor e jornalista explica que o bate-papo será norteado por algumas questões sobre o que falavam os primeiros humanos e quais  histórias contavam uns aos outros. “Podemos imaginar que fossem diferentes das histórias que nós mesmos contamos? Como faziam para memorizar as histórias?”, questiona o palestrante.

Sobre o palestrante:

Francisco de Morais Mendes nasceu em Belo Horizonte. Tem 63 anos. É jornalista formado pela UFMG, onde cursou também o Mestrado em Literatura Brasileira (sem concluir). É autor dos livros de contos “Escreva, querida” (1996), “A razão selvagem” (2003), “Onde terminam os dias” (2011) e  “Sacrifício e outros contos” (2019), lançado em Portugal.

“Escreva, querida” venceu os prêmios Cidade de Belo Horizonte, da Prefeitura, e o prêmio Guimarães Rosa, do Governo do Estado, em 1993. “Sacrifício e outros contos” venceu o Prêmio Gato Bravo, da editora de mesmo nome, em Lisboa, em 2019. O autor venceu, com contos esparso, sete prêmios literários.

Tem contos publicados também em revistas e antologias.

 

SERVIÇO:

Palestra “Origens do conto: uma ficção”, com Francisco de Morais Mendes

Data: 26 de novembro

Horário: 19h30

Local: Academia Mineira de Letras (rua da Bahia, 1.466, Lourdes – BH/MG).

Entrada gratuita

 

Instituto Unimed-BH

Associação sem fins lucrativos, o Instituto Unimed-BH, desde 2003, desenvolve projetos visando ampliar o acesso à cultura, estimular o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas, valorizar espaços públicos e o meio ambiente. Ao longo de sua história, o Instituto destinou R$94 milhões ao setor cultural, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura e da Lei Federal de Incentivo à Cultura, viabilizado pelo patrocínio de mais de cinco mil médicos cooperados e colaboradores. No último ano mais de 1,4 milhão de pessoas foram alcançadas por meio de projetos de cinco linhas de atuação: Comunidade, Voluntariado, Meio Ambiente, Adoção de Espaços Públicos e Cultura. Saiba mais em www.institutounimedbh.com.br.