Carmen Schneider Guimarães

Carmen Schneider Guimarães nasceu em Vitória, no Espírito Santo. Reside em Minas Gerais desde 1947; Filiação: Godofredo Schneider e Noêmia Serrano Schneider. Casou-se com o advogado e professor universitário mineiro José Luiz Gonçalves Guimarães, com quem teve cinco filhos: Milton, Sérgio, Gérson, Guilherme e Maria de Lourdes.

Cronologia

Diploma de Contadora atuária; Ciências Contábeis; Curso de Formação de Professores; Curso de inglês no Practical English Course de Vitória; Curso Avançado de Literatura Portuguesa em Liceu particular Laura Cruz, entre outros cursos: Atualização Cultural, História Antiga, Cultura Grega, Filosofia; Direito (não concluído).

Funcionária do Serviço Jurídico e Contencioso do Estado, (ES), aprovada em concurso público.

Premiada em primeiro lugar, aos quatorze anos, em concurso de poesia da Casa do Estudante Capixaba, quando percebeu sua inclinação para a Literatura.

Em Minas Gerais, dedicou-se ao estudo de grandes artistas, escritores e poetas, e escreveu seus primeiros trabalhos memorialísticos e ficcionais. Lecionou Contabilidade Mercantil, Bancária e Merceologia na Academia de Comércio Sant`Ana, de Itaúna, cidade onde residiu alguns anos; escreveu novelas para a Radio local e enviou contos para concursos da Prefeitura da capital do estado, logrando premiações e incentivos, como a palavra do mestre Moacyr Andrade: “A candidata escreve elegantemente, com desenvoltura e criatividade. Deve continuar”.

Em Belo Horizonte, em 1968, lembrada pelo Presidente do Condomínio Acionário dos Diários Associados, Senador João Calmon, foi convidada pelo Editor Geral do Estado de Minas, Hélio Adami Carvalho, para escrever no “Caderno de Turismo, quando integrou também equipe de televisão da TV Alterosa, Canal 2, redigindo e apresentando programas – “Turismo na Passarela”, de Antero de Alencar; transferiu-se, depois de três anos, para a “Segunda Secção” daquele jornal, indicada pelo Presidente Pedro Aguinaldo Fulgêncio, com o editor Geraldo Magalhães. Nessa época, fez seu registro na Delegacia Regional do Trabalho, como jornalista-colaboradora, antes das Faculdades de Jornalismo, sob o número um (1), de conformidade com o Decreto nº65.912, de 19.12.69.

Atuou como correspondente de “A Tribuna”, de Vitória, levada pelo editor Djalma Juarez ; colaborou com o associado “O Jornal”, no Rio de Janeiro, a convite de Marcelo Maranhão, editor do Caderno de Turismo daquele jornal. Assinou seção e integrou o corpo redatorial da revista “Pesca, Campismo, Turismo e Caça”, de Oswaldo Wenceslau; Teve trabalhos de premiação publicados pela Revista de Ficção – Histórias para o prazer da Leitura, da Editora Ficção, no Rio de Janeiro, classificada em concurso de âmbito nacional; trabalhos publicados no Suplemento Literário do “Minas Gerais”, com Murilo Rubião.

Publicou, em 1967, pelas “Edições Coletâneas”, um livro infanto-juvenil: Lola, a prima de Timbolola, finalista no Concurso João de Barros;

Escreveu contos e novelas, remetendo-os a concursos, logrando as primeiras colocações, o que a fez reuni-los em um livro, e inscreve-lo no concurso Peregrino Júnior, de âmbito nacional, da União Brasileira de Escritores; Premiada nesse concurso, com o livro Corpo Molhado, recebeu, da comissão julgadora, apreciações: “domínio estilístico, temático, enfoque, síntese, sentimento, linguajar…é uma escritora em tom maior…”. O livro foi publicado em 1978, pela Editora Comunicação, em convênio com a Universidade de Itaúna; Fábio Lucas, crítico literário, fez publicar em “Revista do Conselho Estadual de Cultura, Capítulos da Ficção Mineira”, estudo sobre o livro, que lhe serviu de Prefácio.

Apresentou e prefaciou diversos livros de autores consagrados; participou de Antologias de poesias, contos e ensaios.

CONDECORAÇÕES

Medalha de Honra da Inconfidência, conferida pelo Governo do Estado de Minas Gerais, por indicação do Presidente da AML, Vivaldi Moreira; Medalha “Santos Dumont”, conferida pelo Governo do Estado de Minas Gerais, por indicação do Presidente da AML, Vivaldi Moreira; Medalha “Castro Alves”, da Livraria e editora São José, pelo seu livro “Corpo Molhado”;

Placa de Prata, da Prefeitura de Vila Velha (ES), por serviços de divulgação p/ imprensa; Medalha “Clara Ramos”, da UBE, pela atuação na presidência da AFEMIL, entregue na Academia Brasileira de Letras; Diploma e Placa da Academia “Del Fiorino”, Grand Prêmio Mondiale, Il Marzocco, Atestado de Riconescimento (literário) Itá Condecorações e votos de louvor, pela Câmara Municipal de Itaúna, por serviços de divulgação p/ imprensa; (MG); (em duas ocasiões – por indicação do vereador João Viana, e outra, por indicação do Vereador Cosme Silva). Diploma de Mérito Cultural: União Brasileira de Escritores; (RJ) Diploma de Mérito Cultural da Câmara Municipal de Belo Horizonte; (MG); Medalha do Colégio Batista de Belo Horizonte; (MG); atuação em palestras; Diploma do Colégio Odilon Braga, de Guarani, quando proferiu palestra sobre Literatura Infantil, tendo havido na oportunidade, apresentação teatral de capítulo de seu livro Lola, a prima de Timbolola; Medalha de Mérito Cultural do Blufton College Olio (USA); Diploma de Membro Honorário da Academia Ciências e Letras de Lafaiete Condecorada pelo Cônsul da Argentina, Sr. Ricardo Maria Argerich, por trabalhos de divulgação publicados em série sobre o país vizinho; Diploma de Membro da “International Writers and Artists Association” de Ohio, USA; Medalha de ouro do IIIº Concurso, de 2005, da Academia Brasileira de Estudos e Pesquisas (Ensaio literário), vida e obra de Guimarães Rosa, (Grande Sertão: Veredas); RJ;

Primeiro lugar no Concurso Vivaldi Moreira, da Academia Mineira de Letras, comemorativo do centenário de Afonso Arinos de Melo Franco; publicado na Revista da AML, em separata; Diploma de Membro-correspondente da UBE; Diploma de Membro-correspondente da Academia Feminina Espírito-santense de Letras; Diploma de Membro-correspondente do Inst. Hist. e Geográfico do Espírito Santo; Indicada para o “International Biographical Center, na twenty third edition, “Dictionary of International Biography, Cambridge, England; Seu livro Corpo Molhado integra o acervo brasileiro na “Library of Congress Office, D.C., em Washington, onde está registrado desde 1978; Possui verbete no Dicionário de Mulheres de Hilda Agnes Hubner Flores, Editora Nova Dimensão, Porto Alegre, 1999. Eleita para a Academia Mineira de Letras, no dia 7 de dezembro de 2011, tomou posse no dia 26 de abril de 2012, vindo a ocupar a cadeira nº5, que pertencera a Miguel Augusto Gonçalves de Souza,tendo sido recebida e saudada pelo acadêmico José Bento Teixeira de Salles.

Cadeira 05

Patrono
José Maria Teixeira de Azevedo Junior (1865–1909)
Fundador
Amanajós de Araujo (1880–1938)
1º Sucessor
Zoroastro Passos (1887–1945)
2º Sucessor
Christiano Martins (1912–1981)
3º Sucessor
Francisco Magalhães Gomes (1906–1990)
4º Sucessor
Miguel Augusto Gonçalves de Souza (1926–2010)
5º Sucessor
Carmen Schneider Guimarães